O efetivo manejo de doenças é um componente crítico para retardar o aumento de populações de patógenos resistentes.

 

  • As recomendações baseadas em Estrobilurinas e Triazóis devem ser aplicadas em doses, intervalos e épocas de aplicação de acordo com a recomendação das empresas detentoras do registro;

  • Não alterar a dose recomendada dos fungicidas, usando múltiplas e repetidas aplicações e em intervalos diferentes do recomendado pelo fabricante (essa medida promove a pressão de seleção contínua e acelera o desenvolvimento de populações resistentes naturalmente existentes em baixa freqüência).

 

 

Ferrugem-da-folha (Puccinia triticina)

 

Estrobilurinas (= fungicidas QoI) (azoxistrobina, cresoxim-metílico, picoxistrobina, piraclostrobina, trifloxistrobina)

 

  • Os fungicidas do Grupo das Estrobilurinas devem ser aplicados sempre em combinação com fungicidas Triazóis;

  • As Estrobilurinas devem ser utilizadas preventivamente e dentro de um programa de uso por cultivar, região e monitoramento da cultura;

  • As mutações conhecidas para as Estrobilurinas – G143A, F129L e G137R – podem ocorrer nas populações de manchas foliares do trigo e oídio. Por isto, existe um risco médio da ocorrência de resistência quando não forem utilizadas adequadamente. Estas mutações não são conhecidas nas ferrugens que ocorrem na cultura do trigo;

 

Triazóis (= fungicidas DMI) (ciproconazol, epoxiconazol, flutriafol, metconazol, propiconazol, protioconazol, tebuconazol, tetraconazol)

 

A recomendação para o uso de fungicidas DMI deve ser sempre em combinação   com fungicidas de diferentes modos de ação (Estrobilurinas ou multi-sítio) em aplicações preventivas.

 

As aplicações curativas favorecem a pressão de seleção contínua e aceleram o desenvolvimento de populações resistentes e, portanto, não devem ser utilizadas;

 

  • A ocorrência de resistência para os triazóis ocorre de forma gradual (= resistência quantitativa) para as doenças;

  • existe uma grande variação na sensibilidade das raças de ferrugem em relação aos Triazóis. Como exemplo, as raças B55, B56, B58, B55 4002S apresentam menor sensibilidade, enquanto a raça B34 apresenta uma alta sensibilidade;

  • Pelo grande número de raças de ferrugem-da-folha com menor sensibilidade aos Triazóis, os mesmos não são recomendados isoladamente;

  • Além das recomendações acima, utilizar todas as medidas agronômicas necessárias para reduzir a fonte de inóculo (cultivares resistentes, uso de variedades com os menores ciclos possíveis, e o Manejo Integrado de Doenças.

 

 

Mancha-amarela (Drechslera tritici-repentis , Bipolaris sorokiniana)

 

Estrobilurinas (= fungicidas QoI) (azoxistrobina, cresoxim-metílico, picoxistrobina, piraclostrobina, trifloxistrobina)

 

Triazóis (= fungicidas DMI) (ciproconazol, epoxiconazol, flutriafol, metconazol, propiconazol, protioconazol, tebuconazol, tetraconazol)

 

Multi-sitio (= chlorotalonil, mancozeb, oxicloreto de cobre)

  • Todos os fungicidas devem ser aplicados preventivamente, dentro de um programa de uso para variedades e região;

  • As estrobilurinas não devem ser usadas isoladamente, somente associadas com outros grupos químicos, triazóis, multi-sitios, desde que sejam eficientes isoladamente;

  • A alternância de grupos químicos é recomendável dentro de um programa de controle. 

Culturas

Recomendações para a cultura do Trigo

FRAC - Comitê de Ação à Resistência de Fungicidas

A sua origem foi resultado de um curso de resistência a fungicidas em 1980 e um seminário da indústria em 1981 em Bruxelas. Hoje em dia é formado por um comitê central e 6 grupos de trabalho, cada um dedicado a um determinado grupo de fungicidas que têm modo de ação semelhante.

 

Saiba mais...

O FRAC-BR AGORA ESTÁ ASSOCIADO AO DEFESAVEGETAL.NET

PARA RECEBER NOTÍCIAS SOBRE O MANEJO FITOSSANITÁRIO, ACESSE:

WWW. DEFESAVEGETAL.NET

Desenvolvido por Oxya Agro e Biociências